quinta-feira, 28 de julho de 2011

Larissa aos pedaços...



Carregávamos metade de uma tonelada cada uma de livros de macroeconomia debaixo dos pilotis. Ela dizia:
- Toda mulher gosta de mulher, apenas por uma questão de grana acabam casando com um bigode.
&&&


Não sei se dizia para chocar. Talvez sim. Esperávamos o 170 e ela me disse:
- Acho linda essa palavra, lés-bi-ca, llllés… rola na língua.
&&&
Eu vivia fase complicada, aliás ambas. Vindas de longe, ela bem do Sul, eu bem do Norte, para destruir parte dos nossos vinte poucos (caso dela) e dos meus quase-trinta (caso meu) para fazer um mestrado. Gostei do nome dela, Larissa. Tinha jeitão de nome russo, coisa ousada. Eu disse que achava meu nome bobinho, Cristiana, nome de virgem eterna.
- É bobinho mesmo, disse e riu. Quis puxar-lhe os cabelos e rasgar cada centímetro dos seus bustiês e saiasjeans.
&&&
Larissa me divertia. Um refrigério para quem vem de longe com 453 livros para estudar.
&&&
Era complicado ficarmos juntas. Eu morava com prima e marido dela e filhos e etc. Ela tinha um quartinho num alojamento de freiras, pago. As freiras eram moralistas. Proibiam visitas masculinas nos quartos. Quanto a visitas femininas, podiam derramar-se por horas.
- Elas nuuunca imaginam o que pode acontecer: “Ai ui Ermengarda, que dedos que você tem!” “Sim Carmencita, que língua maravilhosa, nunca mais vou querer nem pensar em cuecas, ai ui!”
- Vamos estudar Micro, dizia eu na escrivaninha do quarto dela. Prova próxima semana.
&&&
- Vamos ver TV? Ela disse. Pensei: Faustão, tortura. Antes que eu protestasse ela jogou para o espaço a blusa elastex. Os seios de minha amiga e o bico esquerdo um par de milímetros maior que o direito me encheram o mundo por uns dois dias. Ficamos sentadas no chão, costas na cama, vendo o gordo chato do domingo. Nunca me pareceu tão interessante. Tirei minha blusa também.
&&&
Nas tardes-de-estudo juntas passeava de um lado para outro de bermuda tirada, a calcinha-tanga verde de tiras de meio dedo. Um dia escolhi uma vaporosa branca e tirei o short também. Achei que vi o olho dela meio-brilhar, mas fiquei na dúvida.
&&&
Teorias de Larissa: toda mulher teve uma experiência com outra. Não imagina a quantidade de vetustas senhoras em organizações conservadoras que fez um meia-novezinho com a vizinha. Ou no mínimo brincaram de aprender a beijar.
Não foi adiante por razões e-co-nô-mi-cas. Machos ganham mais, dão grana, dão alianças e estabilidade – Oh sociedadezinha capitalista – dizia ela no seu socialismo de araque.
&&&
Comprei três calcinhas, uma cor de rosa, outra cavadíssima lilás e a mais ousada, fio-dental violeta, para decidir. Decidi por nenhuma. Botei a maior, tipo vovó. Achei que nada ia acontecer.
&&&
Estudávamos gráficos de custo, tarde mormacenta de sábado. “Larissa”. “Sim?” “Vou te comer”. A respiração dela virou chumbo.
&&&
Trinta segundos depois nossos seios dançavam, os bicos morenos de Larissa, os meus bem cor de rosa roçando nos pelos da sua coxa
&&&
Um minuto: eu a afastar as coxas da minha coleguinha, a costura da calcinha bem visível. Beijei a costura. Mordeu a mão para não dar uivinho.
&&&
Mais minuto. A calcinha virara um oito no canto do armário. Lambo minha amiga. Ela aperta os lábios para não gritar. Provoco-a, olho no olho: “Larissa, eu me sinto tão lésbica!” “Adoro essa palavra”, ela disse.
Autora: Dell Torres


Fonte: Parada Lésbica

Na Hora Certa - Cibelle Hespanhol



Na Hora Certa
Cibelle Hespanhol


De repente você surgiu assim na hora certa
Mudou meu pensamento e o meu olhar
Me fez querer tão bem você
De forma unica nas tuas palavras
Eu me encontrei
Foi na medida, assim de longe
Eu me apaixonei
Quem vai dizer que não é certo
Eu querer você?
Quem vai chorar por não estar perto?
Sou eu e você
Venha logo diz que sim
Que eu te espero aqui
A distancia não vai impedir
Te quero mesmo assim

Amo mesmo - Cibelle Hespanhol


Amo Mesmo
Cibelle Hespanhol

Pra que mentir, fingir que perdoou
Se no teu coração você deixou
Todas as mágoas desse nosso amor
Olhe pra mim e diz que vai pensar,
dar uma chance pra gente voltar
Segura a minha mão e vem comigo conversar
Eu juro que serei o cara que você pediu a Deus,
Prometo ser fiel com a nossa relação
Para de bobeira e volta pro meu coração
Eu amo, amo tudo em você
Te quero, quero mesmo pra valer
Se for pra ser assim eu e você
Simplesmente largo tudo e caso com você (bis)

Tinha que ser amor?

...
'Podia ser só amizade, paixão, carinho, admiração, respeito, ternura, tesão. Com tantos sentimentos arrumados cuidadosamente na prateleira de cima, tinha de ser justo amor, meu Deus?'
...

Caio F. Abreu

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Parada Gay de Belo Horizonte reúne cerca de 60 mil pessoas

Público se reuniu na praça da Estação na tarde deste domingo:

Pelo menos 60 mil pessoas se reuniram na tarde deste domingo (24) durante a 14º Parada do Orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT), em Belo Horizonte, Minas Gerais. O número de participantes foi contabilizado pela Polícia Militar. Para a coordenação da parada, entretanto, número ficou próximo de 100 mil participantes.

A violência contra homossexuais e o fim da homofobia foram os temas da Parada. O evento teve concentração na praça da Estação e depois seguiu, com uma multidão e trios elétricos, até a rua Professor Moraes, entre as avenidas Getúlio Vargas e Afonso Pena, no Bairro Funcionários. 
Segundo dados do Grupo Gays da Bahia (GGB), no ano passado foram assassinados 260 homossexuais em todo o país – uma morte, vítima da homofobia, a cada 36 horas. O levantamento coloca Minas Gerais no quinto lugar com mais homicídios registrados – 18 assassinatos em 2010. O estudo apontou também que o risco de um homossexual ser assassinado no Brasil é 785% maior do que nos Estados Unidos.

A parada foi promovida pelo Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual. Segundo o coordenador geral do evento, Carlos Magno, o fato de os homossexuais irem a um local público para mostrar sua opção sexual configura a festa como um ato político.
- Ainda precisamos da criação de políticas públicas e de uma lei que transforme a homofobia em crime.

A concentração começou por volta das 11h. A extravagância das drag queens era uma atração à parte. Entre elas o universitário Manoel Batista, de 28 anos, que se transformou em Manuza Leão. Ele afirmou que veio de Poços de Caldas, no sul de Minas, especialmente para a parada.
- Faço isso há nove anos.

Durante o evento, também foi realizado um ato simbólico de casamento entre o primeiro casal gay do Brasil a formalizar uma união estável. O jornalista Léo Mendes, de 47 anos, e o universitário Odílio Torres, de 21, tiveram o relacionamento reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal, mas tiveram a decisão revogada por um juiz goiano, local onde vivem. No entanto o casal já conseguiu reverter a situação.
- Estamos juntos há um ano e dois meses. A violência que a sociedade tem notícia é apenas a ponta do iceberg.

Fonte: r7 notícias

Nova York tem recorde de casamentos gays no fim de semana

Em Nova York, a lei que permite a união homossexual começou a valer no domingo (24). Teve número recorde de casamentos na cidade.
video


Foi em um cenário da cidade de Niagara Falls que Kitty e Charyle oficializaram a primeira união homossexual do estado de Nova York. À 00h01, elas disseram “sim”. Na cidade de Nova York, Phyllis e Connie foram as primeiras a entrar no cartório. Há duas décadas, elas esperavam por isso. Uma tem 75 anos e a outra, 85. Sob aplausos, elas exibiram com orgulho a certidão do casamento.

Nas ruas, havia bandeiras da cor do arco-íris, um símbolo do orgulho gay. Mas também teve manifestações de quem era contra a nova lei. Isso não atrapalhou a felicidade de Michel e Erick. De alianças nos dedos, eles pousaram para várias fotos. “É maravilhoso fazer parte da história, de um dia como o de hoje” afirmou Erick.
Uma grande fila se formou em frente ao principal cartório de Manhattan. A expectativa é que mais de 800 casais digam “sim”, um recorde para cidade de Nova York, onde vivem cerca de 43 mil casais do mesmo sexo.
Pelo menos a metade, segundo o governo, deve querer legalizar agora a união. A expectativa é que isso ajude a trazer para Nova York uma renda extra de US$ 391 milhões nos próximos três anos.




sexta-feira, 22 de julho de 2011

Não tenha medo...

“Não tenha medo da quantidade absurda de carinho que eu quero te fazer. E de eu ser assim e falar tudo na lata. E de eu não fazer charme quando simplesmente não tem como fazer. E de eu te beijar como se a gente tivesse acabado de descobrir o beijo. E de eu ter ido dormir com dor na alma o final de semana inteiro por não saber o quanto posso te tocar. Não tenha medo de eu ser assim tão agora. E desse meu agora ser do tamanho do mundo.”  
(Tati Bernardi)

Fonte: Danielle Oliveira

Sorrisos...


"Desejo que o seu melhor sorriso, esse aí tão lindo, aconteça incontáveis vezes pelo caminho. Que cada um deles crie mais espaço em você. Que cada um deles cure um pouco mais o que ainda lhe dói. Que cada um deles cante uma luz que, mesmo que ninguém perceba, amacie um bocadinho as durezas do mundo." 
(Ana Jácomo)

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Milagre



"Milagre é quando tudo conspira contra, mas Deus vem de mansinho e com um sopro leve muda o rumo dos ventos. Milagre é quando o incerto nos abraça depois de nos atingir cruelmente com sua fúria. É quando respirar vira quase um suspiro de alívio e a vida devolve o sorriso como forma de retribuição por todo sofrimento. É o instante teimoso que resiste bravamente a um duro percurso e mantém-se em pé amparado pela força divina. É a decisão que escapa de nossas mãos, mas que antes de cair agarra-se com toda força a uma segunda chance. Milagre é o improvável gesto de carinho que impulsiona o ser humano a não deixar de acreditar. "


(Fernanda Gaona)


Fonte: Danielle Oliveira

Acaso...


'Tudo o que eu vivi me trouxe até aqui e sou grata a tudo, invariavelmente. Curvo meu coração em reverência a todos os mestres, espalhados pelos meus caminhos todos, vestidos de tantos jeitos, algumas vezes disfarçados de dor. Eu mudei muito nos últimos anos, mais até do que já consigo notar, mas ainda não passei a acreditar em acaso.'

(Ana Jácomo)


quinta-feira, 14 de julho de 2011

Malícia - Multishow - 1ª Temporada




Fani Pacheco, Priscila Pires (BBB) e Caren Souza (Casa Bonita) vão estrelar um novo programa no Multishow. ‘Malícia’ tem um clima de road movie com altíssimas doses de sensualidade.
Quatro mulheres metem o pé na estrada e viajam sem destino. O objetivo é se aventurar pelas estradas. Liberdade. Tudo que precisam, ganham dando em troca strip-teases, danças eróticas e performances calientes.

No começo da trama, Fani e Priscila são acompanhandas pela atriz Rosanna Viegas, que interpreta a “empresária” do grupo. No meio do caminho – sem fim – elas encontram a doce Caren, que resolve largar a vidinha parada atrás do balcão de bar de beira de estrada e embarcar junto com o trio. 

Impossível recusar uma carona como essa.


1ª TEMPORADA 

Download

1º episódio -  Filesonic (154 MB) AVI
2º episódio -  Filesonic (154 MB) AVI


segunda-feira, 11 de julho de 2011

Insensatez - Cibelle Hespanhol


Insensatez
Cibelle Hespanhol

Parece que você não quer me dizer
Pra onde foi aquele seu amor
Talvez você já saiba e queira esconder
Medo de dizer que acabou

Eu sei que tarda mas não falha
Sua fórmula de amar
São mais de mil motivos
Pra calar o sentimento
E esperar pra te dizer depois

Que a sorte foi embora
Ficou aqui sem ela
Solidão
Que nada, nem pouco
Pode trazer de volta minha paz

Só quero te dizer
Que tudo que restou de nós
Jogue fora
Tua Insensatez calou a minha voz
E agora vou embora

Só quero te dizer
Que tudo que restou de nós
Jogue fora
Tua Insensatez calou a minha voz
E agora vou embora




A gente - Cibelle Hespanhol


A Gente

Cibelle Hespanhol
A vida é passageira
Mais o amor é inacabável
Por isso não chore se um dia
Eu estiver inalcançável
Por que nós dois trance demos
A vida e a morte
Ultrapassamos as barreiras
Do sul ao norte
E eu acho que temos sorte
Por sermos assim tão fortes
Nosso amor é guardado no peito
Do jeito feito um cofre
Mais não diga que vai
Pois eu corro atrás
Não tem jeito
Sem você eu nao penso direito
Então vem
Me diga novamente que me quer também
Meus olhos nos teus olhos eu sinto um bem
Mais fazem diferente me deixam contente
Todo dia toda a hora eu só penso na gente
As vezes eu pareço que sou doida
Por que longe de você eu fico louca
Palavras são pequenas para descrever
O tamanho do amor que eu
Sinto por você

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Mais de Malícia aqui para vocês...

video

Confira o strip-tease da Fani
video

Gente, bora seguir o Blog!

Camilla Domingues

Uma dose para vocês, do 1º episódio de Malícia!

video

Já quero assistir, todas as quartas-feiras!


Camilla Domingues

Estreiou ontem, 06/07/11 às 23h30, 'Malícia', com Fani e Priscila Pires


Série picante traz ex-BBBs e campeã do Casa Bonita no elenco

Quatro mulheres metem o pé na estrada e viajam sem destino. O objetivo é se aventurar pelas estradas. Liberdade. Tudo que precisam, ganham dando em troca strip-teases, danças eróticas e performances calientes.

No começo da trama, Fani e Priscila são acompanhandas pela atriz Rosanna Viegas, que interpreta a "empresária" do grupo. No meio do caminho - sem fim - elas encontram a doce Caren, que resolve largar a vidinha parada atrás do balcão de bar de beira de estrada e embarcar junto com o trio.

Impossível recusar uma carona como essa!

Malícia uma série picante do Multishow traz no elenco Priscila Pires, Fani Pacheco, Caren Souza e Rosanna Viegas. As quatro interpretam amigas que metem o pé na estrada a bordo de um conversível e com objetivo de se divertir.


Na chegada para a festa de lançamento do Malícia, novo programa do Multishow, Fani Pacheco e Priscila Pires falaram sobre as cenas picantes que interpretam na atração. "Isso ainda não é nada", disse Pri, "tem coisa muito mais quente vindo aí. O programa não é café com leite." Para ela, interagir sensualmente com outra mulher não foi um problema: "Isso é coisa normal, acontece no dia a dia das pessoas."

Já Fani disse que sentiu muito à vontade em todas as cenas, mesmo nas mais quentes. No Malícia, Fani vive Zuleika, uma aventureira com instinto de "pegadora". Questionada sobre a performance de Priscila nas cenas de pegação, Fani provoca: "Eu é que pego bem. Pergunta pra Priscila o que ela acha..."

Fonte: http://multishow.globo.com/Malicia/